Textos


Dores do amor romântico

A cada grampo que enfio em meus cabelos, penso em você.
Todas as ruas dessa cidade, caminham num pensamento: você.
Essa idiotice de estar sofrendo assim, essa saudade...
Você. Você. Você.
Eu aqui, sozinha, acompanhada, rindo, chorando, com vertigens.
Acho que estou caindo.
O estômago embrulha como na montanha-russa.
Você não é mais meu.
Você nunca foi meu.
Você nunca quis ser meu.
Estaríamos juntos se você quisesse.
Mas você disse: não posso.
Não quero.
Preciso ficar longe.
Preciso deixar nós dois para trás e ser somente um.
Você quer ser um.
Vou até o espelho, ajeito os meus cabelos de crina de cavalo, entupo a cabeça de grampos resistentes.
Nunca mais cortarei um fio sequer.
Eles irão crescer, o tempo que me distancia de você.
Os terei presos durante o dia.
Soltos à noite. Uma Rapunzel.
Cada centímetro será mais um mês que passou desde o dia último em que nos vimos.
Você disse: preciso estar uno.
Agora estou sozinha, você amputou-se de mim.
Nunca mais cortarei esses cabelos que você dizia amar.
Talvez numa madrugada insone, ou até dormindo, quem sabe em sonho?, você suba até o meu quarto,
minha cabeça, e cansado do ímpar, implore: deixe-me grudar de novo meu corpo no seu.
Se isso acontecer, príncipe encantado, eu retrucarei:
"Redime, ó Deus, Israel de todas as angústias", minha memória, permita-me o esquecimento!
Então poderei cortar a minha trança, esse calendário vivo, grosso, negro brilhante em fios de um quase nylon,
pois a minha vida estará de novo começando.
 
Fernanda Young
 

 


 

Cheio de vazio 
 
O vazio é um meio de transporte
Pra quem tem coração cheio
Cheio de vazios que transbordam
Seus sentidos pelo meio
Meio que circunda o infinito
Tão bonito de tão feio
Feio que ensina e que termina
Começando outro passeio

E lá do outro lado do céu
Alguém derrama num papel
Novos poemas de amor

Amor é o nome que se dá
Quando se percebe o olhar alheio
Alheio a tudo que não for
Aquilo que está dentro do teu seio
Porque seio é o alimento
E ao mesmo tempo a fonte para o desbloqueio
E desbloqueio é quando aquele tal vazio
Se transforma em amor que veio

Lá do outro lado do céu
Alguém derrama num papel
Novos poemas de amor

Do outro lado do céu
Alguém derrama num papel
Novos poemas de amor

O vazio é um meio de transporte
Pra quem tem coração cheio