segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Dia de alivio

pela manhã alivio geral.
graças a Deus e aos santos que aperriei nesses dias.
logo pela manhã um telefonema
o próprio, mas tranquilo.
até lembrei de telefonema da Aline
vou pôr abaixo
pareceia que eu estava me vendo nesse telefonema:
Ao telefone
Assim ela já vai
Achar o cara que lhe queira
Como você não quis fazer
Sim , eu sei que ela só vai
Achar alguém pra vida inteira
Como você não quis

- Alô?- Oi, sou eu. Tudo bem?
- Eu quem?
- Eu, ué. Já não lembra mais da minha voz?
- Ah, oi. (suspira) Bem, e você?
- Você esqueceu rápido a minha voz, hein?
- Não acho. E aí?

Tão fácil perceber
Que a sorte escolheu você
E você cego nem nota
Quando tudo ainda é nada
Quando o dia é madrugada
Você gastou sua cota

- Tudo bem. Novidades?
Voltou mesmo a estudar?
- Voltei, sim. Tudo quase na mesma.
- Soube que você voltou a estudar e ainda não tá trabalhando.
- É por aí mesmo.
- Por que tão seca comigo? Algum problema?
- Problema nenhum... E não estou seca, estou normal.
- Então antes você não me tratava normalmente?
- Tratava diferente, talvez. Mas não de forma anormal.
- Preferia antigamente... Você era bem mais simpática e carinhosa, agora tá parecendo uma atendente de telemarketing.
- Se eu falasse 'vou estar voltando a estudar e vou estar trabalhando em breve', aí sim pareceria uma atendente de telemarketing. Não falo errado e você sabe disso.
- Quis dizer quanto à frieza, porra (irritado). Parece que nem me conhece, que tá falando com um estranho!
Não posso te ajudar
Esse caminho não há outro
Que por você faça
Eu queria insistir
Mas o caminho só existe
Quando você passa

- Não falo com estranhos ao telefone, então nem tenho como comparar.
- Ah, não fala com estranhos? Então quando ligam do banco ou pra vender alguma coisa, você simplesmente desliga o telefone na cara das pessoas, é isso? (falando alto)
- Não, mas é diferente. Você entendeu. Não complica, eu hoje não tou a fim de complicar. (sem alterar o tom de voz)
- É, eu notei, não tá a fim de falar também...
- Mas não estou falando com você, cacete? (impaciente)
- Calma, não precisa se estressar...- Não tou estressada, mas daqui a pouco você consegue, se continuar assim.

Quando muito ainda é pouco
Você quer, infantil e louco
Um sol acima do sol
Mas quando sempre é sempre nunca
Quando ao lado ainda é muito mais
longeQue qualquer lugar

- Tá bem, parei. De resto, tudo bem?
- Tudo, já disse. Tudo bem e tudo velho, fora o novo. (suspira) E você?- Ah, comigo tudo ótimo! Eu tou num trabalho nov...
- (corta) Ah, que bom pra você.
- Porra, nem deixa eu terminar. Achei que você ia gostar de falar comigo, tem tempo que a gente não se fala, eu tava com saudades...
- (gargalhadas) Ah, tá bom, então. Fala aí...
- Deixa pra lá. Já vi que você não quer mesmo falar comigo e tá sendo educada só.
- Hmm.

Se a sorte lhe sorriu
Porque não sorrir de volta?
Você nunca olha à sua volta
Não quero estar sendo mal
Moralista ou banal
Aqui está o que me afligia

- Tá bem então. Não foi um prazer falar com você hoje, viu, mas qualquer dia eu tento de novo.
- Ok então, beleza. Beijo e boa noite.
- Posso ligar qualquer hora dessas?
- Desde que não seja de madrugada ou aos sábados antes das onze da manhã, fique à vontade.
- É, eu sei o quanto você detesta as manhãs. Eu lembro que...
- (corta) Tchau, um beijo, a gente se fala.(desliga)

Que pena ela já vai
Achar o cara que lhe queira
Como você não quis fazer
Sim , eu sei que ela só vai
Achar alguém pra vida inteira
Como você não quis...
(trechos de Acima do Sol - Skank)

Nenhum comentário: