quinta-feira, 2 de abril de 2009

DU-VI-DÊ-Ó-DÓ----Flavio Leandro

QUANDO ACABA UM GRANDE AMOR FICA UMA PONTA DE RAMA NA ROÇA DO PEITO DE QUEM
AMA UM CHEIRO NA CAMA UM INDEZ QUANDO EM VEZ A GENTE AGUENTA VEZ EM
QUANDO A GENTE TENTA MAS É DIFÍCIL AGUENTAR MELHOR VOLTAR POIS TU ME QUER E EU
TÔ QUERENDO VEM CÁ DU-VI-DÊ-Ó-DÓ QUE O MEU CHEIRO CABOCLO NÃO CAUSE
ALVOROÇO NO TEU PENSAMENTO AMOR DU-VI-DÊ-Ó-DÓ QUE VOCÊ NÃO SE SENTE PENSANDO NA
GENTE NO BANQUIM DE FRENTE DA NOSSA CASINHA, IÔ, IÔ, IÔ DU-VI-DÊ-Ó-DÓ QUE NA
REDE ONDE SENTA ELA PÁRA E NÃO PENSA QUE O NOSSO XAMÊGO ACABOU DU-VI-DÊ-Ó-DÓ QUE
NOS DOIS NUM VOLTEMO E ENTÃO COMEÇEMO DE ONDE PAREMO, IÔ, IÔ.

Nenhum comentário: