quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Dia 23 de setembro 1º dia de LIBRA.


Principal Característica: a busca do outro, a sociabilidade
Qualidade: diplomacia, elegância, simpatia, bom senso
Defeito: hesitação, necessidade de agradar, dificuldade com conflitos

"A ti Libra, dou a missão de servir, para que o homem esteja ciente dos seus deveres para com os outros; para que ele possa aprender a cooperação, assim como a habilidade de refletir o outro lado de suas ações. Hei de te levar onde quer que haja discórdia, e por teus esforços te concederei o Dom do Amor."
E Libra voltou ao seu lugar.
(Original de Martin Schulman – Karmic Astrology: The Moon’s Nodes and Reincarnation, 1977)

O antigo nome de Libra era 'Balança'. A balança estava associada ao ato de medir, dividir, pesar, ou seja, era a busca do justo, do exato, do correto.

A primeira coisa que chama a atenção quando você conhece um libriano é a sua sociabilidade, cordialidade, simpatia. Mesmo os librianos mais tímidos são em sua natureza sociáveis, buscam a interação com as pessoas.

Porém, essa é uma imagem superficial do libriano. Há muito mais dentro de um libriano do que a simpatia. Para isso, temos que conhecer a história básica desse signo.

Primeiramente é um signo do Ar, portanto, a mente é o guia do libriano. Não estamos dizendo com isso que ele é exclusivamente racional, mas o libriano procura 'pensar' sobre as coisas ao seu redor, sobre as pessoas, os sentimentos. Em segundo lugar, é um signo cardinal, portanto voltado a ação. Somando ambas as características vemos que ele é ativo (cardinal) com a sua mente (Ar). E também o elemento Ar é o mais humano de todos (não há nenhum animal que simbolize um signo de Ar), o mais sociável, então podemos entender porque, dos três signos do Ar, o libriano é o que busca mais ativamente (cardinal) o contato com as pessoas (Ar).

Todos os signos do Ar têm o pai como o formador da sua personalidade. Não se trata de o pai ser 'melhor' do que a mãe, pois essa seria uma afirmação tendenciosa, apenas é o pai quem moldou a personalidade do filho, influenciou-a. Ele se parece mais com o pai do que com a mãe.

O libriano nasce em uma situação de conflito entre os seus pais. É bom salientar que isso pode ser real ou não, mas esse é o modo como o libriano percebe as coisas. Ele vê o pai de um lado, com um tipo de opinião e personalidade, e a mãe de outro. Desde cedo, inconscientemente, ele tenta fazer uma ponte entre ambos, conciliar as diferenças. Vem daí a característica conciliadora, diplomática e de equilíbrio do libriano. Em um conflito, o libriano opta primeiro pelo entendimento. Para ele, é angustiante a divisão.

A segunda característica libriana é a 'preocupação com o outro'. Você veja, ele era apenas uma criança quando começou a se preocupar com os pais, a querer uni-los. É claro que a união deles trará também paz e unidade para o libriano, mas de qualquer forma ele primeiro está se preocupando com outrem para atingir isso. O lado positivo dessa atitude, é que o libriano é alguém capaz de entender o outro, mostrar-se amigo, conversar. O lado negativo é que, por vezes, ele pode 'fazer o que o outro quer' para não provocar um conflito. Não estamos falando de grandes coisas, embora elas também possam ser possíveis, mas de pequenos gestos, como sair com um amigo mesmo que não esteja com vontade só para não deixá-lo na mão. Que isso aconteça poucas vezes, não há problema, o problema é quando o libriano começa a conciliar demasiadamente, a aturar por muito tempo, a 'ceder' demasiadamente, até que um dia tenha que 'explodir' ou surpreender as pessoas a sua volta para poder se livrar da situação.

Por que se diz tanto que o libriano conhece as artes da diplomacia? Porque o libriano é consciente de que com simpatia é possível se conseguir muitas coisas. O libriano tem uma enorme facilidade em lidar com as pessoas e descobrir o que elas querem. Dessa forma, consegue a cooperação delas. E ele usa muito a razão para fazer isto, e entra em contato com a parte racional das pessoas, aquela que responde a gentilezas, educação, etc.

Algumas coisas, entretanto, não podem ser resolvidas apenas com base na diplomacia, e os librianos aprendem isso enquanto vão crescendo. É um conflito fundamental para o libriano a questão de como usar a razão para resolver uma situação de disputa ou divisão.

Também fala-se muito da questão do equilíbrio. Nota-se esse conceito em muitas coisas na vida do libriano, na boa estética da sua casa, na escolha adequada de suas roupas, e na maneira em que tentam interagir com o outro de forma a ambas as partes saírem satisfeitas. O equilíbrio é algo muito importante para o libriano. Ele prefere ser moderado, dar-se bem com todos, ao invés de assumir uma postura radical. Algumas vezes, porém, pode ter dificuldade em assumir sua personalidade, seus gostos e preferências por causa disso.

Também na sua vida procura distribuir-se entre trabalho, relacionamentos, amor, interesses pessoais. O equilíbrio do libriano não é estático, e nem poderia ser, por isso quando sente que está exagerando em uma conduta, tenta reagir e utilizar outra. Por isso, ele está em eterno movimento, afinando a sua vida constantemente, como a um instrumento.

Por que se diz que alguns librianos são muito 'superficiais', só querem saber das coisas boas, não querem ver as más? Justamente pela questão do equilíbrio. Se se interessarem demasiadamente em descobrir tudo com profundidade, perderão o equilíbrio. É mais ou menos como caminhar sobre uma corda, você precisa ver a corda e enxergar a sua frente. Se perder qualquer um dos dois de vista, cairá. O equilíbrio, por natureza, solicita que você mantenha sempre dois ou mais pontos de vista.

Para não se envolver demasiadamente, todo o libriano aprendeu que é necessário um pouco de distanciamento, e é isso que as pessoas dizem ser superficiais. Se ele percebe que você insiste em falar em assuntos difíceis, complexos ou mesmo negativos, ele tenta 'contrabalançar' (uma palavra bem libriana) com outra atitude. Ele acha que você precisa retornar a um relativa sensação de bem estar para enxergar melhor. Por isso, de um modo geral, os librianos evitam as pessoas muito complexas ou até mesmo 'negativas', pois para os librianos elas estão muito em um extremo, e o lema do libriano é 'nem tanto à terra, nem tanto ao mar'. Eles também evitam as pessoas muito assertivas, com opiniões muito fortes, porque são pessoas menos interessadas em manter uma certa moderação. Porém, algumas vezes, curiosamente, se sentem fortemente atraídas por elas. Talvez por que sintam que elas o complementem, digam o que ele não diz, enquanto o libriano fornece a elas mais moderação.

A maior dificuldade do libriano é quando ele se sente dividido. Lembre-se de que o conflito dele foi entre o pai e a mãe, que pareciam opostos. Essa polaridade aparecerá sempre na vida do libriano. Tem horas em que ele simplesmente não sabe como agir, quer encontrar a equação mais equilibrada, e não consegue. Secretamente, todo libriano sonha com a 'solução perfeita', em que todos saíam satisfeitos. De algum modo, ele trabalha para conseguir um resultado o máximo possível desta perfeição.

O libriano quer respeitar os próprios desejos, e os desejos do outro. Sempre compreende o outro, mas gostaria de também ser compreendido. É nessa hora que Libra precisa aprender algo com o seu signo oposto, Áries, que claramente se posiciona para 'faça o melhor para você mesmo'. 'Sempre compreender os outros' é algo libriano precisa aprender a não se exceder. Curiosamente, ele que preza tanto o equilíbrio, pode justamente perdê-lo quanto tenta colocar tudo em uma balança! Algumas vezes, o libriano precisa um pouco do instinto. Seria como uma pitada de sal em uma comida: é só um toque. Assim, de vez em quando, ele precisa colocar a sua opinião, dizer claramente o que pensa, para que os outros levem em consideração também o seu ponto de vista, seus desejos e sentimentos.

Assim, finalizando, todo libriano precisa aprender a ser um pouco mais decidido, pois isso não ferirá em nada qualidades notáveis como a diplomacia e o fato de serem normalmente queridos aonde vão. Libra precisa entender que o 'equilíbrio perfeito' não existe e que alguns problemas vão ter de ser resolvidos com uma solução parcial de algum modo. Algo como não ser possível dividir as coisas em 50% e 50%, mas aceitar que 56% e 44% já pode estar muito bom.

Além disso, a paz e a harmonia não podem ser mantidas a qualquer preço. Quando elas custarem demasiadamente, quando 'ser bonzinho' custar demasiadamente, Libra precisa se dar ao direito de 'virar a mesa' e assumir o que quer. É um modo, justamente, de retornar ao equilíbrio!
(fonte: Vanessa Tuleski)

Nenhum comentário: